segunda-feira, 9 de julho de 2012

Orquídeas para Iniciantes! Conhecendo alguns nomes...

    Um belo dia, alguém nos presenteia com uma linda orquídea, repleta de flores; até ai tudo lindo. Mas depois de alguns dias as flores vão embora, e ai o que fazer para que ela volte a nos presentear com suas lindas flores?

   Antes de qualquer coisa precisamos saber qual a orquídea que ganhamos, geralmente ela virá com uma etiqueta com o nome, isso é necessário, porque cada orquídea tem sua peculiaridade e exige um tratamento diferenciado.


    Tudo certo!! Descobrimos o nome e aí mais do que depressa, vamos pesquisar sobre ela. Mas ao lermos sobre o assunto, nos deparamos com muitos nomes "esquisitos" e continuamos com muitas dúvidas . Para ajudar um pouquinho,  coloquei  algumas  explicações das palavras mais usadas, quando o assunto é orquídeas:


AXILA:  ângulo situado entre o orgão e o eixo que o sustenta.

.




VELAME: estrutura  de textura e consistência papirácea ou esponjosa, cor esbranquiçada, localizada principalmente na superfície das raízes de plantas epífitas, especialmente em orquídeas. ( estrutura que cobre a raíz)






RIZOMA: um tipo de caule rastejante que algumas orquídeas possuem. É o eixo de crescimento da orquídea ( une os pseudobulbos) e uma das estruturas mais importantes.







GEMA: broto que, inicialmente em dormência, tem forma de olho, está situada na extremidade do rizoma, e que se tornará um novo pseudobulbo.









EPÍFITA: Planta que vive sobre as árvores. Mas não são parasitas.












ESPATA: A espata é como uma "capa"que protege os botões das orquídeas, uma espécie de folha dupla (dobrada) , uma bráctea protetora do escapo floral ainda em formação.



                                                           





HASTE FLORAL: como diz o nome, é uma haste que sustenta as flores, estão presentes em algumas orquídeas.







 
PSEUDOBULBO:  Bulbo ou parte da planta que armazena água e substâncias nutritivas.








SIMPODIAIS: são as plantas que apresentam crescimento limitado, ou seja, após o termino do crescimento de um caule ou pseudobulbo, o novo broto desenvolve-se formando o rizoma e um novo pseudobulbo, num crescimento contínuo.  (crescem horizontalmente)

No crescimento simpodial o caule geralmente é composto por parte reptante, curta ou longa, fina ou espessa, chamada rizoma e parte aérea que pode ou não encontrar-se espessada em estrutura para reserva de água e nutrientes conhecida como pseudobulbo.







MONOPODIAIS: são plantas com crescimento ilimitado, ou seja, com crescimento contínuo. Suas folhas são lineares, rígidas e carnosas, dispostas simetricamente no caule da planta. (crescem verticalmente)

No crescimento monopodial o caule é único e aéreo, ereto ou pendente, e não se encontra espessado em pseudobulbos, sendo ajudado no armazenamento de nutrientes pelas folhas e raízes que brotam continuamente ao longo de todo o caule.




Aqui você encontrará uma explicação com Carol Costa do Blog Guindaste sobre crescimento monopodial e simpodial .

 

PARTES DA FLOR:


2 comentários:

  1. OI ALINE, MEU NOME É JOSÉ CARLOS, NÃO SEI MUITO SOBRE ORQUÍDEAS, MAS ESTOU COMEÇANDO A CULTIVAR ALGUMAS. REALMENTE QUANDO INICIAMOS TEMOS MUITAS DUVIDAS SOBRE ESSES NOMES E FICO FELIZ EM ENCONTRAR BLOGS COMO O SEU. EM RELAÇÃO A GEMA, ELA NA VERDADE ENTÃO É UMA OUTRA PLANTA QUE IRÁ NASCER? É UM CAROÇINHO QUE FICA BEM NO "PÉ" DA PLANTA?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá José Carlos;

      Seja bem-vindo ao blog e ao mundo fascinante das orquídeas. A gema é sim, como se fosse um carocinho, fica localizado bem na base dos "bulbos", pertinho da raiz. Ela fica lá quetinha e depois começa a ficar entumeicida(inchada) e se prepara para brotar. Desejo boa sorte pra vc e fique tranquilo que nada melhor que a experiência para nos ensinar, erros no início é sempre comum.

      Até mais.

      Excluir

Deixe seu comentário, terei prazer em respondê-lo.